Preserve a sua Fertilidade

Medicina Reprodutiva usa a criopreservação de óvulos e sêmen para permitir que pessoas que passam por tratamento de câncer possam ter um filho

 

É difícil saber o que será da vida amanhã, mas imagine poder decidir ter um filho daqui a décadas, sem ter que necessariamente fazer um plano de gravidez por agora, quando os seus óvulos são mais jovens!? A isto chamamos de preservação da fertilidade e o canal para qual é a criopreservação, ou seja, o congelamento de óvulos, espermatozoides e embriões para posterior uso por meio da reprodução assistida, o que protege a fertilidade de milhares de casais.

 

Como funciona
Para que a criopreservação do óvulo seja possível, é feito um estímulo hormonal afim de produzir mais óvulos. Após isto, é realizada a punção dos mesmos para criopreservação.
Já para a obtenção de espermatozoides, pode ser feito através de masturbação ou punção de epidídimo, caso não haja espermatozoides na ejaculação.

 

Criopreservação de Embrião
O casal pode optar por criopreservar embriões e adiar a gravidez, tanto por questões de saúde, quanto por questões profissionais.

 

O que acontece depois!?
Os espermatozoides, os óvulos e os embriões, podem ficar congelados por tempo indeterminado. Para os homens que possuem amostra semal congelada, dependendo da qualidade da amostra, ela pode ser suada para fazer inseminação artificial. Se a amostra possui concentração baixa de espermatozoides, a indicação é que o casal faça a Fertilização In Vitro.
Para as mulheres que optaram por preservar seus óvulos, quando elas decidem engravidar, os óvulos serão descongelados e então será realizada a Fertilização In Vitro.
Já os casais que optaram pelo congelamento de embriões, a mulher apenas precisa sincronizar o ciclo menstrual para receber os embriões descongelados.

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Voltar
fb.com/progenese
|
46 3220 2969
|
Av. Brasil, nº450, sala 1002 - 10º andar, Ed. Max Saúde.